“Notas”- 29/01/2016

“Olavo de Carvalho? Eu já escrevi sobre isto”

“Pawwlow, e o Olavo de Carvalho? Estamos esperando algum texto seu sobre ele…”
“Mais um?”

“Desde o rompimento dele com o Reinaldo Azevedo e com Kim Kataguiri vamos todo dia ao teu blog…e nada.Você não tem acompanhado?”
“Olha, escrevi muito sobre isto, vocês parecem que não me acompanham, e isto reforça minha suspeita de que vocês acessam o blog por mero cumprimento de uma obrigação de amizade.”

“Como? O único post do ano tratou do Lobão…”
“O que acontece agora com o Olavo nada tem de diverso do que aconteceu em anos anteriores, se consultar o arquivo do blog perceberá que escrevi sobre situações  idênticas. Portanto, meu registro sobre o que vem acontecendo ao filósofo em 2016 tem meu registro. Como nenhum de meus alegados admiradores replica ou comenta em suas redes sociais o que escrevo, os textos ficam acanhados nos labirintos dos arquivos mentais.”

“Prometo que, chegando em casa, procurarei, mas já que te encontrei aqui na Rua Guaicurus, he, he…”
“Fácil me encontrar aqui, e eu te encontrar aqui, he, he, difícil você ler com atenção …”

“Que você diz da briga com o Reinaldo?”
“O mesmo que escrevi por ocasião do episódio Jair Bolsonaro X Maria do Rosário, lembra deste? Reinaldo exigiu que o deputado se desculpasse com a deputada, Olavo mandou mensagem ao Reinaldo, sem resposta. Escrevi que Reinaldo estava, ali, sendo coerente com tudo que escrevera sobre Bolsonaro e que os surpresos o eram por terem comprado RA como substituto do Olavo em ‘Veja’. Há quem esteja assustado com a resposta recente do RA ao Olavo pela mesma razão, e não se pode cobrar de alguém por benefícios que este alguém  não pediu. O público construiu em torno do Reinaldo suas concepções sobre Política e Moral muito pela falta do Olavo e ele não é mesmo obrigado a cumprir expectativas. Como, e escrevi isto na ocasião, nunca o tive por referência, não me irritei, como não me irrito agora.”

“E os ataques do Olavo ao Kataguiri e ao Movimento Brasil Livre”?
“Confesso que este assunto nunca me interessou. Sempre achei estes líderes um tanto prematuros, embora considere que algo é sempre melhor que nada. Entendo Olavo se aborrecer com ativistas políticos que desperdiçam popularidade (e impopularidade do oponente) e a  oportunidade de trabalhar este capital junto às massas, utilizando-o para cortejar raposas de pelo grisalho, mas também lembro de mensagens de alunos e (ou) admiradores do Olavo postando mensagens ao escritor em sua página de Facebook tentando alertá-lo sobre o voluntarismo do Sr.Kataguiri, e não me lembro de respostas; ou lembro de admoestações do Olavo aos que criticavam quem estava “fazendo alguma coisa”, porém (e o escrevo sem qualquer ironia) admito que posso estar sendo tapeado pela memória. Olavo pode ter feito críticas junto com seus admiradores e nunca os ter repreendido, e tudo ser uma ilusão minha.”

“Falando em ‘Facebook’, nem o bloqueio recente da página do Professor te animou a escrever?”
“Quando o bloquearam, não me lembro se em 2014, ou 2015, fiz como tantos outros: escrevi texto aconselhando-o a desertar do ‘Facebook’ e criar sua própria rede social, levando consigo punhado expressivo de admiradores e desfalcando assim a rede de alguns milhares de usuários de uma só vez, com estardalhaço.Você saiu do ‘Facebook’? Nem ele.”

“Ele alega não poder processar todos seus difamadores, pois os ataques se reproduzem em blogs associados aos agressores originais e em comentaristas (muitos deles fake)  que agem sem pausa. Difícil lutar assim, Pawwlow.”
“Claro que é,  e claro também que não se pode processar todos, ao menos que ele arranje patrocinadores entre monarcas petrolíferos e donos de bancos de investimento. Mas lembro dele aconselhando (no ‘TrueOutspeak’) ,  em caso de ataque, o ‘assédio judicial’: ‘Processa logo uns três e o quarto já desiste’,  ou coisa do tipo. Processasse os mais salientes, os coadjuvantes fatalmente veriam que a coisa é pra valer, e considerariam a brincadeira temerária, não?”

“No caso do Reinaldo, você considera que ele deveria ter pedido direito de resposta?”
“Não sei se ali caberia pedir,  lembro de pedido de resposta, quando, sem citar-lhe o nome (‘apenas’ mencionando personagem que ‘mora nos Estados Unidos, astrólogo’),  o Marco Antonio Villa qualificou-o de ‘embusteiro’, Olavo exigiu ser entrevistado pela Joice Hasselmann, e conseguindo, preferiu dar ‘uma aula’, sem mencionar o ataque, ou mesmo esclarecer (ao público de ‘TVeja’ alheio à polêmica) que estava ali gozando do direito de resposta. Um desperdício, resumindo. Escrevi na ocasião, você não leu?”

“Cara, estes seus textos a gente que é amigo lê, mas como não conseguem repercussão, caem no esquecimento, sabe como é….”
“Sei como é, e por isto decido não mais escrever sobre assuntos do tipo. Pois você não ignora que trazem problemas. Cito Olavo e sou logo rotulado de ‘olavette’ sem o bônus de ser comentado pelo Mestre. Mesmo meu texto, sobre seu debate com Dugin, depois de publicado no ‘Mídia sem Máscara’ não aparece entre textos recomendados pelo site quando o assunto é Dugin. Olavo não menciona meu nome e o de meu blog nem para atacar e, assim, os textos ficam sem leitores, e minhas sugestões dirigem-se então, ao vazio. Não mais farei isto comigo. Quem quiser saber o que penso sobre Olavo de Carvalho, e suas atribulações, que vá ao arquivo do blog.”

“”Você parece magoado..”
“Quando ele disse, naquela discussão comigo, no programa de rádio, que eu temia ser rotulado por ‘olavette’, eu havia, dias antes, escrito ao programa, dando meu nome e curso na UFMG. Conheci aluno do curso dele no campus que não me lembro de ter se manifestado como o fiz. E como continuei a fazer, mesmo agora no blog. Muito professor que se dava comigo, me virou a cara por me saber admirador de Olavo, se você quer saber. Não me queixo, me prestaram favor me livrando do convívio, mas tomei nota do preço que paguei.”

“Quais serão seus temas no blog, doravante?”
“Assuntos que me interessam e aos quais sempre volto: crítica da Imprensa, reminiscências, literatura, música, até novela de TV. Mesmo diretores de teatro que admiro, como Gerald Thomas, devem ser tema. Tudo, menos temas que me tiram leitores sem nada oferecer em troca.”

”Não seria capitulação?”
“Não, me dou um descanso, apenas. Olavo de Carvalho conta com inúmeros alunos, alguns com blogs de sucesso (acredito que já o estejam defendendo), e pode se virar sem meus conselhos, os quais, se conhecesse, julgaria ridículos – ‘Ah Moleque, cresça e apareça. Eu com tua idade já havia lido seis mil livros e corrido mais perigos que herói de romance de cavalaria.Você quer aparecer, cria um bloco caricato aí na tua cidade’- e presunçosos.”

“O texto do Lobão…”
“Era texto que eu estava me prometendo desde fim de 2015, só por isto o escrevi, e já perdi leitores, já ouvi críticas… e Lobão nem tomou conhecimento, nunca ouviu falar deste blog, claro.”

“Você sabe de si. Até nosso próximo esbarrão aqui na Guaicurus…”
“Ou no Cemitério do Bonfim, no Bonfim propriamente dito…”

Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s