“Notas”- 05/03/2016

”O Pior Erro Já Cometido Nesta Guerra”

José Luiz de Magalhães Lins (site dele ou dedicado a ele me identifica  como jornalista; não sou e tentei corrigir a informação) observou que “as pessoas que fazem ‘sem querer’, por ignorância, constituem, às vezes, maior risco do que as pessoas que fazem ‘de propósito’, mal intencionadas”.

Quem, conhecedor da lógica do Poder, discorda desta reflexão do “Zé Luiz” (que serve para tudo na vida, pensando bem), avaliando o que houve com Lula nesta sexta-feira, 4 de março de 2016?

Um esquema de Poder que vem se desmoralizando dia depois de dia aos olhos da população que sente a vida piorar, que vinha (até ontem) admitindo não lançar candidatura (caso Lula não puder mesmo disputar) própria em 2018, ganha uma injeção de oxigênio: “coerção” de Lula até posto da Polícia Federal no aeroporto de Congonhas.

Lula não falava tão animado há anos, pois ser acordado pela Polícia, e seguir “coagido” ao depoimento, sendo fotografado no banco traseiro da viatura, devolveu-lhe anos de vida. Como sabia (ou soube no depoimento) que seria logo liberado, animou-se para reunião em sindicato com militantes, e deu-se o previsível para os que leem o que se publica na imprensa governista: brados de guerra contra a “imprensa golpista” e contra a parte do Poder Judiciário que o investiga.

Quem não faria o mesmo, sabendo-se seguro para tanto? Qual preço pagaram os militantes que ameaçaram nas redes sociais, e demonstraram não estar brincando, quando Lula quase depôs no fórum da Barra Funda? Que incômodo sofreu qualquer blogueiro governista por debochar do juiz Sérgio Moro ou da Polícia Federal?

A imprensa dita de Oposição, e falo, claro, de “Veja”, soltou seus foguetes nesta Sexta, como se deste episódio resultasse o fim do petismo e por extensão de todo o sistema da Poder, tratando este beliscão em Lula como se fosse a queda de toda a fortificação que esta imprensa vem, há quatorze anos, tentando derrubar, sem retirar desta uma lasca sequer.

Apenas Reinaldo Azevedo, já na noite da Sexta, advertiu que não se deve subestimar o líder que exibe, há anos, notável sentido de preservação. O resto comemorava como se o período petista fosse já verbete histórico. Os leitores incautos deste material de suposto jornalismo promoveram salvas de palmas nas janelas.

Não atinam da burrada que se cometeu: se Lula e seus adoradores ainda tinham dúvida, eliminaram-na de vez: têm adversários afoitos e despreparados, prontos para tomar qualquer disparo contra o inimigo como causa finita na guerra; sem qualquer conquista significativa declaram vitória, e este foi o pior erro já cometido nesta guerra: intimidar o líder desta facção política sem disposição de ir até o fim, devolvendo-o aos braços de seus seguidores poucas horas após buscá-lo em casa, ainda por cima declarando agir assim (conduzindo-o “coercitivamente”) para sua (de Lula) segurança.

Que esperavam conseguir com este gesto? Contavam que prendendo (ainda que por algumas horas) Lula, o PT se intimidaria, seus apoiadores (na Imprensa, na política e na casta acadêmica) prostrando-se em temerosa expectativa? Pelo visto nunca acessaram algum blog ou site governista, “Veja” sendo única leitura.

Tudo o que vem sendo dito e escrito, sem qualquer censura (ao contrário) dos líderes, desde o “Mensalão”, sobre o Judiciário (quem se lembra do Joaquim Barbosa retratado como macaco e hostilizado em um bar?) é apenas aviso e amostra do que pretendem os que hoje detêm o Poder: preservá-lo por todo o resto do tempo histórico do Brasil esmagando qualquer ensaio de resistência. Como não têm encontrado resposta enérgica, não se fazem de rogados: avançam, exigindo (e obtendo) maiores bocados de Poder, o sucesso confirmando-os o “Destino” de desbravadores do território retrógrado do Brasil.

Escrevi diversos textos neste blog sobre o poder que órgãos governistas emprestavam aos militantes, por fornecedores de material para discussões em rede social, além de servirem como fóruns de trocas de ideia entre simpatizantes do Governo. Relatei aqui neste blog minhas tentativas de alertar formadores de opinião que preferiram tomar meus avisos como futrica ou como alucinações. Tudo o que hoje assistimos de intimidação e abusos tem sua matriz neste descaso, neste medo travestido de desprezo. Eles, os governistas, não se enganam com a autoilusão destes oposicionistas de meio período: sabem que o que responde por Oposição no Brasil é formado por gente preguiçosa e temerosa de perder as poucas posições que ainda ocupam, e não é outra a fonte da força que militantes exibem.

Lula não tem qualquer dúvida do que fazer daqui para a frente: avançar, bravateando e chamando à guerra contra o que considera obstáculo os seus adoradores, não se atemorizando mesmo com a prisão, se esta acontecer; sua militância sabe que pode atacar oposicionistas sem temer qualquer consequência legal e seus apoiadores na imprensa e na Academia continuarão debochando de instituições como cumprindo dever imposto pela História. Uma hora os adversários acabarão percebendo a inutilidade de resistir, de protestar, de gemer protestos, e esta será, então, a vitória definitiva. Tudo que vem acontecendo é o esforço para este fim, e tudo que estes valentes encontram é um exército de tolos.

Lembro do menino que foi sucesso no “YouTube” quando reagiu, após anos, ao bullyng que vinha sofrendo; celebrado em todo o mundo o gorducho que arremessou um menino com menos de um terço de sua massa e tamanho ao chão, ainda que logo em seguida o vídeo o exibisse dando as costas para meninos maiores que o desafiavam. Vocês se lembram disto? Foi o que me veio à mente neste episódio – a tentativa de intimidar Lula acompanhada de respeitoso silêncio aos que insultaram, de todas as formas, as autoridades que o “perseguiam”. Como vêm agindo desde o “Mensalão” sem serem chamados para explicar apelidos e qualificativos grosseiros, sob o pretexto de não ferir a “liberdade de expressão”, continuaram e continuarão. Esta vigília pelo líder “molestado” pela Polícia Federal foi apenas mais um expediente; os oposicionistas celebram o Nada, os governistas sabem que ainda há chão a ser vencido até o domínio absoluto, esta a diferença.

Ah, como lembro de programa do PSDB durante o governo do Fernando Henrique Cardoso, às conquistas sobre a inflação, um coral repetia a frase: “Se fosse fácil ,alguém já tinha feito”. Fosse fácil destruir o PT (e o sistema inteiro de Poder) com algumas prisões, tal ideia não teria ocorrido antes em outras investigações?

Não culpo, já escrevi no blog, a classe média que desempenha, uma vez mais, o papel de otário nesta tragicomédia, os culpados são os que desinformam e preferem dar risadas nervosas (imaginam enganar a quem?), enquanto fingem ignorar a desenvoltura dos que zombam do Judiciário,  insultam a Polícia Federal e surram manifestantes, seguros da impunidade. Tentam, estes jornalistas bem pagos, abafar o medo com afetações de desprezo, que fazem rir (aí sim, gargalhadas sinceras) os que trabalham sem tirar férias e sem contar horas para a realização do sonho de passear sobre escombros dos covardes, o Brasil inteiro convertido em cemitério e parque de diversão.

Esta fase da “Lava-Jato”, a vigésima -quarta, foi um sinal promissor; governistas foram dormir com o sabor da História, oposicionistas imaginam o que seja isto?

Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s